Sobre nós

António Correia Alves, com 17 anos, decide lançar-se no mundo dos sapatos.
Conjuntamente com seu pai, José Correia de Sá, formam a firma J. Correia de Sá e Filho, a qual se vai dedicar ao fabrico de calçado de homem. Assim, em Janeiro 1948 é registada a marca Dural e em 2 de Fevereiro do mesmo ano, começa a laborar a fábrica localizada em Escapães, apenas com cinco operários.

Os trabalhadores da “indústria” resumiam-se praticamente aos cortadores e às costureiras (hoje designadas por gaspeadeiras), a montagem era praticamente toda feita manualmente fora da fábrica.

A nossa História

  • 1954

    A firma J. Correia de Sá e Filho é dissolvida e o filho resolve tornar-se independente, fundando a firma António Correia Alves, dando continuidade ao fabrico de calçado de homem, das marcas Dural e Durex, que irá durar com esta designação até ao ano de 1977.

  • 1956

    António Correia Alves, juntamente com António Martins e Godofredo Gomes de Castro (ambos vendedores da firma António Correia Alves) fundam uma nova sociedade, a que dão o nome de Alves, Martins e Castro.

    Começa a ser fabricada a marca Ginita no setor de criança, introduzindo-se o setor de montagem no seu fabrico (até aí este setor era dado a fazer fora).

  • 1970

    Esta firma é dissolvida em 1970 e até 1977 existira apenas a firma António Correia Alves.

  • 1977

    Com a denominação social de António Correia Alves e Filho, após dar sociedade à sua esposa, filho e genro, dedicar-se-á até 1984 ao fabrico de calçado de homem – Dural e Durex, calçado de criança – Ginita e de senhora – Magli.

  • 1994

    Cessação da sociedade e transformação em sociedade anónima, com a denominação António Correia Alves e Filho, S.A e por razões de penetração no mercado de exportação, são abandonadas todas as marcas e tipos de fabrico anteriores e dá-se inicio ao fabrico único de sapato de senhora com a marca Ginita.

pt_PTPortuguese
en_GBEnglish pt_PTPortuguese